Como ser sustentável?

Muito se fala sobre ter melhores atitudes e ser sustentável, mas como podemos fazer isso de forma prática? Não, não é difícil, mas vai muito além de apenas separar o lixo.

Mas antes disso vamos conceituar o que é sustentabilidade.

Segundo a Wikipedia, “sustentabilidade é um conceito sistêmico; relacionado com a continuidade dos aspectos econômicos, sociais, culturais e ambientais da sociedade humana”. Hum… complicado, né? Vamos falar em português mais claro, então.

Ser sustentável, trocando em miúdos, pode ser resumido a: não vamos desperdiçar! Precisamos usar tudo de forma consciente, sem o exagero que nos é empurrado diariamente. Devemos utilizar os recursos que temos a mão – sejam eles naturais ou não – de forma que impacte o menos possível no meio ambiente.

Ainda está confuso? Então vou mostrar algumas atitudes sustentáveis que podemos adotar no nosso dia a dia e que favorecem a manutenção do equilíbrio entre o meio ambiente e as comunidades humanas que nele residem.

Separar o lixo: Sempre que falamos em ser sustentável, a primeira coisa que nos ocorre é a reciclagem. É clichê, todo mundo já ouviu (e ouve quase todos os dias) e sabemos que precisamos fazer isso, mas a grande verdade é que poucos fazemos. E isso acontece por dois motivos: 1) achamos que será trabalhoso demais; 2) pensamos “ah, porque vou separar o lixo se na coleta tradicional vai misturar tudo de novo?” É um pensamento que faz sentido, mas podemos criar o hábito de utilizar a coleta seletiva. Aqui no Rio a Comlurb oferece esse tipo de serviço e através do seu site oficial você pode descobrir quais bairros tem esse tipo de coleta, além de saber todos os procedimentos necessários. Sobre a separação do lixo, ela é muito simples e você estar atento aos seguintes cuidados:

  • Não misture lixos recicláveis com orgânicos (sobras e restos de alimentos, cascas de frutas e legumes, etc.)
  • Coloque vidros, plásticos, metais e papéis em sacos separados
  • Lave as embalagens que você irá descartar. Caixas de leite longa vida, garrafas de sucos e refrigerantes e latas de todos os tipos. Caso você leve esse material para algum posto coletor, seque essas embalagens antes de depositá-las nos locais indicados.
  • Não amasse os papéis, porém eles podem ser dobrados. E fique atento para que não estejam molhados.
  • Tome cuidado com vidros quebrados. Para evitar qualquer tipo de acidente (para você e para quem irá coletar), embrulhe-os em várias camadas de jornal ou coloque em caixas.

coleta-seletiva-de-lixo

Cuidado com o óleo de cozinha: Sabe aquela batata frita que ficou deliciosa? Ela é frita em óleo, certo? E esse óleo precisa ser descartado depois, correto? Descartá-lo através do ralo da pia é a atitude mais comum nas casas brasileiras, porém é a mais errada. O óleo pode aumentar o processo corrosivo dos canos, prejudica as estações de tratamento de água e encarece o processo de tratamento. Isso sem falar que o saneamento da esmagadora maioria das cidades brasileiras não é eficiente e boa parte vai parar nos rios, lagoas, praias e diversos outros lugares que deviam ser limpos. Para piorar essa situação, o óleo que chega no mar cria uma barreira que dificulta a entrada de luz e bloqueia a oxigenação da água, comprometendo o equilíbrio ambiental da região. Então, para evitar isso, armazene o óleo em garrafas e procure postos de coleta. O óleo será reaproveitado e pode ser utilizado na fabricação de tintas, sabão, detergentes e biodiesel. Uma rápida pesquisa no Google irá indicar os postos de coleta da sua cidade.

óleo-na-pia

Aproveite a luz natural: Você é daquele tipo de pessoa que fecha a janela do quarto com blackout e faz tudo ligando a luz do teto, porque não suporta o sol? Então você está fazendo isso muito errado. Abra a sua casa e aproveite a luz natural ao máximo. Além de fazer bem à saúde e ao meio ambiente, você economizará uma boa quantidade energia e no final do mês o bolso ainda vai agradecer. Outra opção interessante é a utilização de lâmpadas solares em alguns pontos da casa. Elas estão disponíveis no mercado brasileiro, mas muita gente nem sabe da existência delas. Saiba mais sobre elas no vídeo abaixo:

Use menos descartáveis: Sabe aquele cafezinho quando você chega no trabalho? E logo depois do almoço, antes de voltar ao batente? Se o dia estiver estressante então… lá se vão mais algumas doses de café durante o dia. Percebeu quantos copos plásticos você usou nesse curto espaço de tempo? Agora multiplique isso pela quantidade de pessoas que tem na sua empresa e nas outras. É uma quantidade gigantesca de copinhos que pode ser perfeitamente reduzida. Leve uma caneca e um squeeze para o trabalho e na hora de beber café e água utilize-os. Você estará contribuindo de uma forma aparentemente pequena, mas que fará uma diferença enorme. Além de deixar a sua mesa mais bonita.

essa é a nossa caneca ♥
essa é a nossa caneca ♥

Deixe o carro mais tempo na garagem: Sei que vivemos em um país com alguns problemas graves de transporte público, mas deixar o carro um pouco mais na garagem também é uma boa pedida. Evite utilizá-lo para coisas corriqueiras, como ir até a padaria , o açougue ou a farmácia. Muitas vezes optamos pelo carro para fazer trajetos curtos e que poderíamos perfeitamente fazer a pé ou de bicicleta, por exemplo. Você ainda estará contribuindo para a sua saúde.

Ensine: As dicas acima são facilmente aplicáveis ao dia a dia, mas o mais importante não é somente fazermos, mas também ensinar outras pessoas a fazerem também. Talvez não consigamos embutir esses hábitos na rotina dos nossos pais, por exemplo, que viveram (em sua maioria) com outros hábitos e sem essa preocupação, mas devemos tentar convencer nossos amigos próximos, nossos vizinhos e, principalmente, nossos filhos. Ensinar essa atitudes às crianças é o passo mais importante para mudarmos o desperdício a longo prazo, já que faremos com que seja algo natural para eles. E as crianças transmitem as coisas entre si com muita facilidade, então o seu filho vai falar pro amiguinho da escola que vai querer fazer igual, desde que ele veja que pode ser algo divertido e não trabalhoso. Além disso, procure iniciar alguns projetos que melhorem os hábitos dos meios onde você circula, como o seu prédio, condomínio, trabalho, academia e onde mais você conseguir.

aqui já ensinamos o Vini a fazer papel reciclado
Por aqui já ensinamos o Vini a fazer papel reciclado!

Não dói e não custa fazer nada disso. Ser sustentável é muito simples e podemos facilmente adaptar às nossas atuais rotinas. Basta querer e colocar a mão na massa. Vamos lá? 🙂

 

Comentários

Comentários

Escrito por Samanta Vicentini

Especialista em fazer a família feliz, cozinheira de mão cheia e viajante de fim de semana. Colecionava papel de carta e ainda chora com desenhos animados. Trocou SP pelo Rio por amor e fez até amizade com o verão. ♥